skip to Main Content

Candida Auris: saiba mais sobre esse fungo que tem chamado atenção.

 

Candida auris é um fungo resistente que está deixando tudo mundo bem atento nos últimos dias. Ele foi identificado no Brasil em 2012, e representa um desafio para o sistema de saúde devido à sua capacidade de causar complicações graves em pacientes hospitalizados e imunocomprometidos.

Esse fungo tem capacidade de persistir em ambientes hospitalares e isso aumenta as chances de transmissão entre pacientes, além disso é é resistente a grande parte dos antifúngicos, o que dificulta o tratamento.

As autoridades de saúde estão tomando medidas para controlar e prevenir a disseminação de Candida auris no Brasil, como protocolos de higiene rigorosos e isolamento de pacientes infectados.

A principal medida de prevenção é simples: Uma boa higiene das mãos.
Lave bem as mãos com água e sabão por pelo menos quinze segundos. Se não houver água e sabão disponíveis, use um desinfetante para as mãos à base de álcool.

Perguntas Frequentes:

Quais são os sintomas?
R- Candida auris é uma espécie de fungo que pode causar infecções graves em seres humanos. Os sintomas geralmente variam dependendo do local da infecção, mas podem incluir febre, calafrios, dor, fadiga e desconforto. Se você suspeita de uma infecção por Candida auris, é importante procurar atendimento médico imediatamente.

Como é feito o diagnóstico?
R- Existem exames para diagnosticar infecções causadas pela Candida, incluindo a Candida auris. Alguns dos exames comuns incluem:

  1. Cultura: O médico pode coletar amostras de tecido ou fluidos corporais infectados, como sangue, urina, saliva ou secreções, e cultivá-los em laboratório para identificar a presença do fungo e determinar a espécie específica de Candida.
  1. Teste de antígeno: Os testes de antígeno podem detectar a presença de proteínas específicas da Candida em amostras clínicas. Esses testes podem ser rápidos e úteis para diagnósticos rápidos.
  1. Teste de PCR (reação em cadeia da polimerase): Este teste molecular pode identificar o DNA ou RNA da Candida em amostras, permitindo uma detecção mais sensível do fungo. 
  1. Testes de sensibilidade a antifúngicos: Após o isolamento da Candida em cultura, podem-se realizar testes para determinar a sensibilidade do fungo a diferentes antifúngicos, ajudando a escolher o tratamento mais eficaz.

 O diagnóstico preciso é essencial para um tratamento adequado. Portanto, se você suspeitar de uma infecção por Candida ou estiver apresentando sintomas, é importante procurar atendimento médico para realizar os exames apropriados. O profissional de saúde poderá indicar os exames mais adequados com base nos sintomas e na suspeita clínica.

Qual o tratamento?
R- Geralmente, são utilizados antifúngicos como o anfotericina B, o echinocandin ou o fluconazol. A escolha do medicamento e a duração do tratamento são determinadas pelo médico com base na avaliação clínica do paciente. Em alguns casos, a Candida auris é resistente a todas as três principais classes de medicamentos antifúngicos. Nestes casos, será necessária a administração de mais de um medicamento antifúngico em doses mais elevadas para tratar a infecção.

 É verdade que esse fungo é mais comum em ambiente hospitalar?
R- Sim, o “superfungo” Candida auris é mais comum em ambiente hospitalar e em outras instalações de saúde. Isso ocorre porque Candida auris pode se espalhar facilmente em ambientes de cuidados médicos, onde pacientes frequentemente têm sistemas imunológicos comprometidos ou estão recebendo tratamentos invasivos, como cateteres, tubos endotraqueais ou dispositivos médicos.

A disseminação de Candida auris em ambientes de saúde pode ocorrer devido à transmissão direta de pessoa para pessoa ou através da contaminação de superfícies e equipamentos médicos. Por esse motivo, as instituições de saúde adotam protocolos estritos de higiene e desinfecção para prevenir surtos e infecções associadas ao fungo.

É importante ressaltar que a Candida auris também pode ser encontrada em outras configurações além das instalações de saúde, mas sua prevalência é maior em ambientes hospitalares e associados ao cuidado médico.

Porque ele é chamado de superfungo?
R- O termo “superfungo” é frequentemente usado para se referir à Candida auris devido a algumas características específicas que a tornam preocupante e desafiadora de tratar. Aqui estão alguns dos motivos pelos quais ela é chamada de “superfungo”:

  1. Resistência aos principais medicamentos antifúngicos (isso é preocupante porque limita as opções de medicamentos disponíveis para tratar a infecção);
  2. Dificuldade na identificação do fungo (esse fungo não é identificado por métodos tradicionais de laboratório, o que pode levar a diagnósticos incorretos ou tardios, retardando o tratamento adequado e favorecendo a sua disseminação);
  3. Capacidade de se espalhar facilmente (esse fungo tem uma capacidade notável de se espalhar em ambientes de saúde, podendo causar surtos e infecções em várias unidades de um hospital ou em diferentes instituições de saúde);
  4. Longa persistência em ambientes: Candida auris pode sobreviver por longos períodos em superfícies e equipamentos médicos, contribuindo para a sua disseminação entre os pacientes.

*Para se manter atualizado sobre esse assunto, acompanhe as informações fornecidas pelas autoridades de saúde no Brasil.

Back To Top